Original Article URL: http://sobremotos.solupress.com/sobremotos/news/articles/article1914.asp


Yamaha MT-03: Pronta para a Briga das Ruas

By Gisele Flores, Jaime Nazário, Clique no nome de um dos autores para comentar.

Monday, 5 January, 2009


A MT-03 da Yamaha foi especialmente projetada para um máximo desempenho dentro de centros urbanos e esta "street fighter" tem realmente muita força para encarar qualquer desafio das ruas e, ainda por cima, com muito estilo.

Ficamos quatro dias testando uma Yamaha MT-03 que nos foi gentilmente cedida pela concessionária da marca para a grande Porto Alegre, a Motoryama, que é competentemente capitaneada por Rogério Schroeder.

Ao longo destes dias, rodamos quase 700 quilômetros e pudemos sentir o quanto esta moto é forte, ágil, rápida e atraente na cidade.

A MT-03 ainda é pouco vista pelas ruas e, por causa disto, causa muita atração por onde passa. O visual extremamente moderno e recortado desta "naked" que representa o melhor estilo "street fighter", moto concebida para a briga das ruas, atrai os olhos de quem a vê passar e chega a fazer alguns pararem só para admirá-la quando a vêem estacionada. Invariavelmente, a pergunta que é feita a respeito dela quando estávamos por perto era "Que moto é esta?".

A MT-03 não é uma moto que esteja sendo oferecida em grande número nas concessionárias da Yamaha. Além disto, os seus potenciais consumidores ainda não tem bem certo qual o seu posicionamento de mercado. Muitos se surpreendem ao saber que ela é uma moto de 660 cilindradas e ficam confusos ao tentar compará-la com a Hornet da Honda, ou mesmo a FZ6-N da própria Yamaha.

Na linha de produtos da Yamaha, a MT-03 está um passo antes de se chegar na FZ6-N, não sendo sua concorrente direta, assim como também não é concorrente direta da Hornet da Honda. Na verdade, por enquanto, a MT-03 não tem uma concorrente direta dentro do mercado brasileiro.

A MT-03 é vendida por preço abaixo de 30 mil reais, enquanto a FZ6-N e a Hornet tem preço em torno dos 34 mil. Embora seu motor tenha cilindrada maior (660) do que o motor da FZ6-N e da Hornet (600) sua concepção é totalmente diferente e lhe confere características bem diferenciadas.

De fato, o motor que a Yamaha empregou na MT-03 é o mesmo utilizado na XT 660R, um monocilíndrico de 4 tempos refrigerado à água com 4 válvulas e comando OHC. Os motores da FZ6-N e da Hornet são de 4 cilindros em linha e comando DOHC.

Por ser equipada com este propulsor a MT-03 herdou todas as excelentes características de força e agilidade em baixas rotações que a XT 660R consagrou. Numa arrancada em um farol há de se ter cuidado para não fazer a moto empinar, pois ela é responde na hora a qualquer acionamento do acelerador. Quando está andando devagar, a MT-03 aceita ganhar velocidade a partir de praticamente qualquer marcha, basta acelerar, ouvir o motor roncar e, logo em seguida, a moto já está bem rápida.

O nível de ruído e vibração do motor é típico de um monocilindro de grandes dimensões. Quem está acostumado com uma moto de quatro cilindros vai estranhar um pouco no início, mas logo se acostuma. Quem está acostumado com motor de um ou dois cilindros de menor cilindrada não vai acreditar na força que este motor despeja na roda traseira.

Aliado à "usina de força" que é o motor da MT-03, seu quadro compacto e curto lhe proporciona extrema manobrabilidade e agilidade para enfrentar o tráfego urbano. Às vezes, a gente até esquece que ela é uma moto de médio porte, pois ela possibilita driblar com rapidez e facilidade os obstáculos mais apertados que se vê pela frente. O posicionamento do piloto, que é bem avançado, combinado com uma frente muito retraída dá grande visibilidade do asfalto logo à frente da moto.

Como é uma moto mais pesada e com um único grande cilindro, seu consumo não é o seu ponto alto, mas, para seu tipo, não decepciona. Durante o teste que realizamos a MT-03 alcançou o melhor nível de consumo com 22,3 Km/l e sua pior marca foi de 18,7 Km/l. Como tem muita força, estar com garupa ou a carga que ela leva não chega a ser um fator tão relevante, mas em estradas, por ser uma "naked", sem carenagem ou parabrisa, a resistência imposta pelo vento é bem sentida.

Na estrada, a MT-03 sente a falta de uma sexta marcha, pois seu câmbio é de apenas cinco, reflexo de sua concepção urbana.

Quanto a suspensão e freios, estes estão muito bem dimensionados para qualquer desafio. A MT-03 concilia uma altura do assento ao solo relativamente baixa e, ao mesmo tempo, boa altura da suspensão, o que facilita transpor buracos e subir por sobre obstáculos sem maior dificuldade, ou andar por ruas alagadas, por exemplo. Os freios são a disco nas duas rodas e garantem resposta efetiva quando acionados.

Enfim, a MT-03 é uma moto ideal para quem procura um design e estilo realmente diferenciados, com excelente performance para trafegar nas ruas congestionadas das grandes cidades e, de quebra, prover bom divertimento nas estradas, por um preço mais acessível do que o de outras motos de média cilindrada disponíveis no mercado brasileiro.

A MT-03 é comercializada somente na cor preta e pode ser encontrada na Motoryama, que fica localizada na Av. Farrapos, 3946 (F: 51-3406.4000), em Porto Alegre, ou na Av. Sen. Salgado Filho, 4337 (F: 51-3434.3240), em Viamão, ou ainda na Av. Getúlio Vargas, 6676 (F: 51-3032.4004), em Canoas.


Especificações Técnicas

Comprimento total  = 2.070 mm
Largura total  = 860 mm  
Altura total = 1.115 mm  
Altura do assento = 805 mm  
Distância entre eixos = 1.420 mm  
Altura mínima do solo = 200 mm  
Peso seco = 174,5 Kg  
Motor monocilíndrico de 4 tempos , OHC, refrigerado a água, 4 válvulas
Cilindrada  = 660 cc  
Diâmetro x curso:  100,0 x  84,0 mm  
Taxa de compressão = 10,0:1  
Potência:  48 cv a 6.000 rpm
Torque:  5,95 kgf.m a 5.250 rpm
Capacidade do óleo do motor  3,4 litros  
Capacidade do tanque de combustível (reserva):  15 litros
Alimentação: Injeção Eletrônica Denso
Câmbio:  5 velocidades, engrenamento constante  
Quadro:  "diamond"
Pneu dianteiro = 120/70 - 17
Pneu traseiro  = 160/60  - 17
Freio dianteiro: Disco flutuante de 298 mm de diâmetro, acionamento hidráulico
Freio traseiro: Disco de 245 mm de diâmetro, acionamento hidráulico
Suspensão dianteira:  Garfo telescópico, mola e óleo
Suspensão traseira:  Braço oscilante, monocross
Curso da suspensão dianteira  130 mm  
Curso da suspensão traseira  120 mm  
Painel de Instrumentos com Mostrador analógico para as rotações do motor e LCD com indicações da velocidade, combustível, temperatura, hodômetro parcial e total e luzes espias

Fotos: Gisele Flores & Jaime Nazário